O brasileiro Fabrício Da Silva Claudino está preso na Austrália, entre outras acusações, por vender vídeo de sexo com o ex sem o consentimento. Ele foi preso também por se masturbar em locais públicos.

O que começou com uma história arrebatadora de amor no Rio de Janeiro – “Eu achava que ele era o homem dos meus sonhos”, afirmou o ex australiano – continuou com a mudança de Fabrício para o país, entrando com visto de turista. Mas, cinco meses depois o casal terminou.

O que seria um caso apenas de uma história de amor sem um final feliz acabou indo parar nos tribunais. Aparentemente para se manter na Austrália, o brasileiro investiu em uma carreira de ator pornô caseiro. O problema é que ele resolveu postar na sua conta do OnlyFans um vídeo com o ex, filmado sem o consentimento da vítima.

Minha dignidade foi vendida por US $ 12,99. Minhas tatuagens, que eu costumava usar com orgulho, agora parecem marcas. Eu me senti culpado, me senti sujo.

Ex australiano em depoimento na corte sobre o caso

Começavam ali os problemas de Fabrício com a justiça Australiana. Mas sua prisão em setembro passado aconteceu também por outras 15 acusações desde que estava sob fiança no caso do vídeo com o ex.

A polícia afirma que o brasileiro se filmou se masturbando em espaços públicos, inclusive em vista de uma escola, em um ônibus e em um parque. Tudo isso para se promover em seu canal no OnlyFans e se sustentar no país. Para completar, Fabrício também foi acusado acusação de possuir esteróides anabolizantes.

O tribunal australiano anunciará a sentença do brasileiro no próximo dia 18 de setembro. Ele deve ser deportado para o Brasil depois que cumprir alguma pena na Austrália.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *