Se tem um lugar que aquela ideia que os alemães são sisudos e fechados cai por água abaixo certamente é em Munique

Munique

A cidade, famosa por abrigar a Oktoberfest, é festa o ano inteiro e um destino tão alegre não poderia deixar de ter o seu lago gay. Por isso preparei esse roteiro gay de Munique para que você conheça um pouco mais do que fazer por lá. Fique hospedado no delicioso Mandarin Oriental Munique a convite da rede (leia o review que fiz sobre o hotel) e pude aproveitar para conhecer a cena gay da cidade com tranquilidade, fazendo todo o trajeto a pé. Mas não pude deixar de ir conhecer o Hotel Deustche Eiche, um ícone gay na cidade. O prédio é de 1864, e desde a década de 50 é um dos pontos tradicionais gays de Munique. Logo na entrada é possível conhecer um pouco de sua história, com um mural com fotos de famosos que já passaram por ali. Entre ele Freddie Mercury, que se hospedou ali em diversas vezes que esteve em Munique, e o cineasta Rainer Werner Fassbinder, que usava o hotel para as festas de lançamento dos seus filmes. Hoje o hotel é a pedida para aqueles que querem um ambiente gay friendly bem no centro da cidade, com um concierge recheado de dicas do que fazer na cidade (claro, principalmente as festas e locais gays) e, para os mais animados, com uma portinha ao lado da recepção que dá acesso a uma sauna masculina.

Munique

Na cena noturna, o bairro de Glockenbachviertel é um dos mais animados da cidade, com diversos estabelecimentos voltados ao público gay. O local que já abrigou a zona da luz vermelha hoje recebe gays e héteros que frequentam seus bares e restaurantes descolados. Lado a lado é possível curtir um bar totalmente voltado ao público gay ou entrar em uma balada frequentada pelo público hétero mais cool da cidade. Um bom exemplo dessa diversidade é o Kraftwerk, onde as diferentes tribos frequentam. Mas se você quer mesmo uma night gay divertida o pedido é o alegre Café Nil, com decoração inspirada no Egito. O local ferve e como fomos no carnaval era comum ver muita gente fantasiada se misturando as Drag Queens que circulam livremente por essa região. Se você curte os mais velhos e ursos seu point é o Edelheiss, já se você quer algo mais fervido pode escolher entre o Camp, com darkroom, ou o Ochsengarten, especializado em fetiches.

Para quem prefere noites mais animadas é importante ficar de olho nas festas que acontecem enquanto você estiver por lá. Uma dica é passar em algum dos points gays, como o Hotel Deustche Eiceh por exemplo, e pegar a revista Szene Timer que traz o calendário de festas. Os locais mais animados por lá, com festas bombando, são o Prosecco, o Harry Klein Club e o Luxuspop.

Ah sim, e é claro que a Oktoberfest não podia ficar fora dessa. Algumas tendas como Bräurosl, Fischer Vroni e Schottenhamel tem dias específicos para a comunidade LGBT.